Kenny Carpenter (Studio 54 / NYC) + M.Dusa

Kenny Carpenter é um artista que viveu inúmeras facetas da noite nova-iorquina. Tudo começou no mítico Studio 54, onde se encarregou da iluminação juntamente com Walter Gibbons, até se ter tornado num dos DJs residentes do clube durante mais de duas décadas.

Nicky Siano apresenta Love Is The Message Tour

Nesta noite recebemos um dos pioneiros dos nightclubs como os conhecemos hoje, um bastião do Disco e uma lição de história cultural. Proprietário do Gallery, o clube nova-iorquino que revolucionou a história da música e das discotecas e antigo residente do Studio 54.

BIRDZZIE + MOZÃO

O encontro e a fusão do Velho e do Novo, do Orgânico e do Sintético, do Acústico e do Electrónico. As batidas do Norte da África, Oriente Médio, Europa e América do Sul, misturadas através de um alter ego que explora o legado artístico das gerações passadas e presentes da diáspora.

Os Compotas – The Chance To Dance

Oito irmãos de mães diferentes estavam juntos quando um frasco de compota dos anos ’70 deu à costa. Continha no interior um papel com a mensagem: “keep the funk alive & breathing”. Decidiram aceitar a missão!

ZD Paid + Península

ZD Pais é o projeto musical a solo de José Pais. Com influências de Ornatos Violeta, Arctic Monkeys e The Beatles, começou a compor e produzir músicas num estilo indie rock com traços psicadélicos e de folk, a partir do seu quarto. “Península” apresenta-se como uma banda com composições em português, influências dentro do funk, soul, indie, jazz, rock n’ roll, entre outros variadíssimos estilos, décadas, e nacionalidades.

Soul Providers

Crate Diggs e RakimBadu em 2018 os dois produtores unem esforços e formam os Soul Providers. Desde então são 11 beat tapes, 3 álbuns e 1 Ep, em sua maioria instrumentais, com a participação de alguns rappers. Influenciados pelo Hip Hop e R&B dos anos 90.

Tio Rex apresenta Life Love Loss & Death

Assina no BI como Miguel Reis, mas é como Tio Rex que tem vindo a tecer canções folk com a delicadeza da porcelana, alternando entre a língua de Pessoa e o coração de Whitman. Recorrendo a harmoniosas composições de guitarra e munido de uma voz grave, serve-se da catarse na busca e criação de uma identidade, construindo o seu próprio imaginário autobiográfico que, de disco para disco, vai ganhando novos capítulos e abordagens alusivas ao mundo que o rodeia.

Jazzafari

Jazzafari interpreta de forma virtuosa algumas das maiores canções da história do Jazz, assim como um conjunto de originais seus, tudo envolvido num som que balança entre o Jazz, Reggae e a Soul e que fazem de cada concerto uma experiência única.